Tribunal Europeu aceita caso para julgar abusos na Crimeia

0
62

Em 14 de janeiro, o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos emitiu uma decisão significativa aceitando a queixa da Ucrânia, alegando que a Rússia é responsável por várias violações dos direitos humanos na Crimeia.

Esta decisão é muito importante. Embora o Tribunal não tenha considerado a legalidade da apreensão da Crimeia pela Rússia, ao encontrar a queixa da Ucrânia parcialmente admissível, o Tribunal reconheceu que a Rússia “exerceu controle efetivo” sobre a península desde fevereiro de 2014.

Esse reconhecimento da ocupação da Rússia é um passo crucial para a justiça e a responsabilização pelos abusos dos direitos humanos por parte das autoridades na Crimeia.

Em março de 2014, enquanto a Rússia se movia para consolidar o controle na Crimeia, a Human Rights Watch estava no local, documentando abusos cometidos pelas chamadas “unidades de autodefesa”, grupos paramilitares sem insígnia ou uma estrutura de comando clara, que agiram descontroladamente com total impunidade. Esses grupos estiveram implicados em ataques a repórteres e ativistas, desaparecimentos forçados e sequestros e torturas de ativistas pró-Ucrânia, enquanto as autoridades não fizeram tentativas de controlá-los.

Tendo estendido a legislação e a política russa à Crimeia em violação do direito internacional, as autoridades continuaram a desprezar as normas vinculativas do direito humanitário: desde a perseguição implacável dos tártaros da Crimeia, que se atreveu a criticar abertamente e pacificamente as ações da Rússia na Crimeia a forçar efetivamente os civis sob seu controle para escolher entre obter a cidadania russa ou enfrentar discriminação – e pior. Documentamos como as autoridades russas estão recrutando homens na Crimeia ocupada, impondo penalidades criminais àqueles que se recusam a cumprir o projeto – outra violação flagrante do direito internacional humanitário, que proíbe a Rússia de obrigar os residentes da Crimeia a servir em suas forças armadas.

Até o momento, Ucrânia alojou muitos outros casos interestaduais contra a Rússia, e provavelmente demorará um pouco até que o Tribunal Europeu decida quanto ao conteúdo das alegações da Ucrânia. Mas não há dúvida de que a decisão desta semana aumenta a responsabilização por várias violações dos direitos humanos perpetradas na Crimeia sob o controle da Rússia.

Fonte: www.hrw.org

Deixe uma resposta