Washington, D.C .- Dezesseis anos, hoje, vinte prisioneiros foram enviados para o centro de detenção de Guantánamo. Para marcar este aniversário, o major-geral Michael Lehnert, o primeiro comandante geral de Guantánamo, divulgou a seguinte declaração:

"Ao refletir sobre o legado da Baía de Guantánamo, exorto nossos líderes a reconhecer o trágico insuficiências de Guantánamo e a tortura e a ilegalidade que sua operação promoveu, e para resolver nunca mais permitir que nossa grande nação seja manchada por atos ilegais e desumanos. Devemos nos comprometer novamente com a luta contra o terrorismo, mantendo os ideais americanos, pois é um imperativo de segurança moral e nacional.

Se o presidente Trump realmente quer ser duro contra os suspeitos de terrorismo, Guantánamo não é a resposta. Felizmente, o presidente atendeu os apelos da segurança nacional e dos líderes militares em novembro ao decidir acusar o perpetrador do trágico ataque de Nova York na corte federal. Os tribunais federais oferecem justiça rápida para vítimas, famílias e entes queridos. Guantanamo não faz nada além de encorajar nossos inimigos e minar a liderança moral dos Estados Unidos ".

Para mais informações ou para falar com o General Lehnert, entre em contato com Corinne Duffy em [email protected] ou em 202-370-3319.