Nova Iorque – Em resposta aos relatórios de que a Administração Trump retirou os Estados Unidos do Pacto Global das Nações Unidas sobre Migração, Eleanor Acer, de Direitos Humanos Eleger, emitiu a seguinte declaração:
"Esta jogada de curta visão é mais um golpe para a liderança dos EUA e prejudicará, em vez de ajudar, os interesses americanos, incluindo a segurança nacional e a estabilidade global. A afirmação do secretário Haley de que o compacto de alguma forma permite que as decisões relativas às fronteiras dos EUA sejam feitas por não-americanos refletem uma falta total de compreensão do compacto global ou uma tentativa intencional de espalhar a desinformação. Claramente, este é mais um exemplo em que as decisões relativas a questões globais e os interesses nacionais dos EUA em todo o mundo estão sendo conduzidas por ideólogos de políticas domésticas anti-imigrantes e anti-refugiados.
"A conclusão é que a explicação da Administração Trump para esta decisão – incluindo a afirmação de que a Declaração de Nova York contém inúmeras disposições que são inconsistentes com as políticas de imigração e refugiados dos EUA e os princípios de imigração da Administração Trump – é um reconhecimento de que os princípios e políticas de imigração do presidente Trump violam as obrigações legais dos tratados de proteção dos direitos humanos e dos direitos dos EUA existentes. A Administração Trump não está acima da lei e a Constituição dos EUA – um documento escrito por americanos – deixa claro que tais tratados são a lei da terra ".
Para mais informações ou para falar com a Acer, entre em contato com Corinne Duffy em [email protected]

Diretor Sénior, Proteção de Refugiados