Jornalista, ganhadora do primeiro prêmio de direitos humanos presa perto do Cairo

0
38

WASHINGTON – A Human Rights First está alarmada com relatos de que jornalista Nora Younis foi presa em seu escritório em Maadi hoje cedo. Ela foi reconhecida com o prêmio Human Rights Defender por Direitos humanos em primeiro lugar em 2008. (O prêmio já recebeu o nome do advogado americano de direitos humanos William D. Zabel)

Ela é editora do site independente Al Manassa, que foi bloqueado no Egito em 2018 após a publicação de um relatório crítico alegando violações eleitorais, preconceito do governo e compra de votos.

“Esta é uma prisão chocante e assustadora”, disse Brian Dooley dos Direitos Humanos em Primeiro Lugar. “Ela é uma jornalista de destaque, muito respeitada no país e além. As autoridades egípcias continuam encontrando novas maneiras de restringir a liberdade de expressão, e o governo dos Estados Unidos deve parar de apoiar o governo egípcio com armas e apoio político enquanto continua reprimindo os jornalistas. Younis deve ser libertado imediatamente.

De acordo com relatos locais, oito policiais à paisana chegaram ao escritório de Younis logo após 13h. hora local e esperou por ela até que ela chegou logo depois. Em seguida, ela foi interrogada por mais de duas horas e levada em um veículo por volta das 16h. até a delegacia de polícia local em Maadi, mas a delegacia negou que ela estivesse presa lá. Relatos dizem que ela ficará presa durante a noite na delegacia e possivelmente será acusada de gerenciar um site sem licença.

Em dezembro de 2016, Younis relatou que “havia perdido o acesso ao bate-papo seguro” quando o Egito bloqueou os aplicativos seguros de sinal e telegrama. Sua prisão ocorre um dia depois do conhecido defensor de direitos humanos Sanaa Seif foi preso no Cairo.

Fonte: www.humanrightsfirst.org

Deixe uma resposta