Washington, DC- Direitos humanos Primeiro aplaude a passagem unânime de ontem de uma resolução conjunta no Senado condenando nacionalistas brancos, supremacistas brancos, Ku Klux Klan, neonazistas e grupos de ódio similares após os eventos violentos em Charlottesville, Virgínia, nos dias 11 e 12 de agosto.

A resolução, apresentada pelos senadores Mark R. Warner (D-VA), Tim Kaine (D-VA), Richard Blumenthal (D-CT), Lisa Murkowski (R-AK), Cory Gardner (R-CO) , e Johnny Isakson (R-GA), pede à Administração do Trump que se abata contra os grupos que defendem uma retórica odiosa, insta a administração a usar todos os recursos disponíveis para conter o aumento dos grupos de ódio nos Estados Unidos, solicita que o Procurador Geral investigar todos os atos de violência, intimidação e terrorismo doméstico por supremacistas brancos e exorta as agências federais a melhorar a coleta de dados sobre crimes de ódio. A resolução agora vai para a Câmara dos Deputados.

"Embora muitas vezes dividido por política e partido, esta resolução prova que o Senado está unido em sua resposta ao ódio", disse Susan Corke, dos Direitos Humanos dos Direitos. "A história nos mostrou que o fanatismo, a supremacia branca e o antisemitismo são formas perigosas do mal; devemos rejeitá-los como antitéticos aos valores americanos. Esperamos que a Câmara em breve se junte ao Senado na aprovação unânime desta resolução ".

Direitos Humanos Primeiro solicita ao Senado que avance o espírito desta resolução ao passar a Oposição Nacional de Odeio, Assalto e Ameaças para a Lei de Igualdade (NO HATE) de 2017.

Para mais informações ou para falar com Corke, entre em contato com Christopher Plummer em [email protected] ou 202-370-3310.

Diretor, Antisemitismo e Extremismo